Você sabe como funciona A COMPOSIÇÃO DO PREÇO DA GASOLINA?








Do Poço ao Posto

O preço praticado ao consumidor é composto por três parcelas: realização do produtor ou importador, tributos e margens de comercialização. No Brasil, esta margem de comercialização equivale às margens brutas de distribuição e dos postos revendedores de gasolina.Tudo começa com o preço pelo qual a gasolina tipo A chega aos distribuidores vindo das refinarias ou importadoras – sejam da Petrobras ou privadas. Além da gasolina pura, as distribuidoras precisam adquirir o etanol anidro das usinas produtoras, que é misturado à gasolina tipo A e, ao final da cadeia, revendida ao consumidor como gasolina tipo C, seja comum ou aditivada. Esta é uma proporção determinada por legislação (atualmente no percentual de 27% de Etanol Anidro e 73% de gasolina tipo A). Portanto, a composição do preço da Gasolina é feita na mesma proporção de seus respectivos custos. As distribuidoras, então, incidem no produto os custos dos encargos federais, Cide e PIS/Cofins, que hoje representam R$ 0,07085 centavos de real, além do valor do ICMS estadual (Distrito Federal) sob a alíquota de 28%, entretanto, este percentual de cálculo é feito sobre o preço de pauta, chamado  ATO COTEPE, valor determinado pela Secretaria de Fazenda do Governo do Distrito Federal, portanto, de acordo com a legislação, este valor de ICMS é atualizado sempre nos dias 1º e 16 de cada mês, ou seja, quinzenal. Após o somatório de todos estes valores, a Distribuidor adiciona ao preço do produto a sua margem de comercialização e, repassa ao revendedor, que, por fim, adiciona também a sua margem de comercialização ao preço do produto e vende ao consumidor final.