Notícia

BR escolhe novo conselho com viés profissional

 quinta, 19 de setembro 2019

BR escolhe novo conselho com viés profissional

Os acionistas da BR Distribuidora aprovaram ontem, em assembleia geral, o novo conselho de administração, o primeiro colegiado eleito depois da privatização da companhia, em julho deste ano. Dona de participação de 37,5% na empresa, a Petrobras indicou um terço dos conselheiros e emplacou um deles – Edy Kogut – como novo presidente do conselho da distribuidora.

A assembleia geral renovou praticamente todo o colegiado. Foram eleitos nove membros, sendo apenas Kogut remanescente da equipe anterior. Uma vez eleito o novo conselho, a assembleia votou sobre quem ocuparia a presidência do colegiado. A Petrobras se absteve nessa votação e houve tentativa, por parte de alguns investidores, de emplacar Mateus Affonso Bandeira para a presidência do conselho, como forma de tentar evitar a ascendência de um executivo associado à Petrobras, mas a estratégia não teve sucesso. Kogut é pessoa próxima ao presidente da petroleira, Roberto Castello Branco.

Conforme havia se comprometido com o mercado, na ocasião da oferta secundária de ações que reduziu sua participação na BR, de 71,25% para 37,5%, a Petrobras indicou apenas três dos nove membros do conselho: além de Kogut, Alexandre Carneiro (ex-vice-presidente da Shell Brasil) e Maria Carolina Lacerda (ex- UBS e ex-diretora do Merrill Lynch e atual conselheira da Hypera Pharma), conforme antecipado pelo Valor. Os três foram referendados pela assembleia.

Os seis demais novos conselheiros, indicados pelos demais acionistas, são todos caras novas na BR. Foram eleitos: o administrador Carlos Augusto Piani (conselheiro da Equatorial Energia e diretor da Kraft Heinz); o engenheiro Claudio Ely (ex-presidente da Raiadrogasil e da Drogasil e conselheiro da Dimed); o historiador com especialização em administração Leonel Dias de Andrade Neto (ex-presidente da Smiles e ex-diretor da Losango Financeira e da Visa do Brasil); o especialista em finanças corporativas Mateus Affonso Bandeira (ex-presidente do Banrisul e ex-conselheiro da PDG); o engenheiro de computação Pedro Ripper (conselheiro da Iguatemi Shopping Centers e da Positivo Tecnologia e ex-diretor da Cisco e Oi); e o economista Ricardo Carvalho Maia (ex-diretor da Ipiranga).

Houve consenso, entre os principais investidores, sobre o time de conselheiros. Tanto que, na assembleia, não houve apresentação de candidatos alternativos. Os novos conselheiros assumem mandato de dois anos. Com a privatização da BR, houve mudanças na composição do colegiado. As cadeiras até então destinadas a representantes dos empregados e do Ministério da Economia foram extintas.

O novo time de conselheiros assume o colegiado no momento em que a companhia está focada na implementação de pacote de dez medidas, em diferentes áreas de negócios, para aumentar a rentabilidade. A lista dos novos membros está em linha com o desejo do comando da BR de capturar profissionais com experiência nas áreas em que a empresa quer avançar nos próximos anos, como varejo, novas tecnologias de meios de pagamento e de fidelidade, além de marketing e precificação.

Fonte: Valor Econômico